Associação dos Magistrados do Estado de Goiás

31 | Outubro | 2023 - Notícias

Presidente da Asmego coordena debate sobre a reforma do Código Civil

Presidente da Asmego e vice-presidente da AMB, a juíza Patrícia coordenou, na manhã da sexta-feira (27/10), debate sobre a reforma do Código Civil com objetivo de discutir a revisão e alteração da norma que, atualmente, é estudada por comissão de juristas responsável por atualizá-la.O evento contou com a participação de juízes, desembargadores, servidores do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) e operadores do Direito.O debate foi coordenado pela presidente da Asmego junto ao juiz Lionardo José de Oliveira, da 1ª Vara de Família e Sucessões da comarca de Rio Verde.O jurista e professor Nelson Rosenvald, que também integra a comissão criada pelo Senado Federal para atualizar o Código Civil, foi convidado especial e discutiu questões que estão sendo trabalhadas pelo grupo, como os aspectos relacionados à responsabilidade civil. As discussões foram conduzidas, ainda, pelos juízes Sebastião José de Assis Neto e Marcelo Lopes de Jesus.Ao abrir o evento da manhã, a vice-diretora da Ejug, desembargadora Alice Teles de Oliveira, afirmou que “Para nós, do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, é uma honra tê-la como integrante da comissão que atualiza o Código Civil”, disse, dirigindo-se à presidente da Asmego, única magistrada de Goiás a integrar o grupo.A juíza, por sua vez, ressaltou que “O Código Civil é muito acanhado em relação a disciplinar os temas, contando com apenas 27 artigos”. “Urge a atualização e modernização da norma, não só no que tange à responsabilidade civil, mas a diversos aspectos, como direito de família, direito digital, contratos”, declarou.O professor Nelson ressaltou a necessidade de mudanças na norma, que precisa contemplar a evolução social. “Ela foi criada na década de 1970 para uma sociedade brasileira completamente diferente. Menos complexa, menos plural. E esse Código dos anos 1970 hoje completa não a maioridade, mas 50 anos de vida, enquanto queremos pensar no Código Civil para os próximos 30 anos. Temos uma defasagem. Uma norma que oferece muito pouco em relação ao que nós queremos”, disse.

31 | Outubro | 2023 - Notícias

Asmego participa de seminário com o tema: O instituto de recuperação judicial como ferramenta de reestruturação das empresas e o papel do Judiciário,

Representada pela presidente Patrícia Carrijo, a Asmego participou, nesta quarta-feira (25/10), no TJGO, de seminário com o tema: O instituto de recuperação judicial como ferramenta de reestruturação das empresas e o papel do Judiciário, com o ministro Luís Felipe Salomão (STJ); conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Marcos Vinícius Jardim Rodrigues, e o conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Daniel Carnio Costa. O evento foi organizado pela EJUG. O ministro Luís Felipe Salomão ressaltou a importância de que magistrados conheçam o sistema de recuperação judicial, o que contribui decisivamente para uma melhor jurisdição nessa área. “Talvez de todas as especialidades que nós juízes temos, a que mais demanda aprofundamento, conhecimento mais intenso, com diversas áreas de atuação, é a de recuperação judicial”, disse.Luís Felipe Salomão destacou que 30% das empresas que pedem recuperação judicial conseguem, de fato, aprovar um plano e se salvar. “A diferença está no juiz que acompanha a causa de perto. Que, desde o primeiro minuto, percebe qual a deficiência da empresa, o que gerou o pedido de recuperação. Adota medidas preventivas, acompanha cada passo do processo. É isso que faz a diferença”, enfatizou.Compuseram a mesa o presidente do TJGO, desembargador Carlos França; diretor da Ejug, desembargador Jeronymo Pedro Villas Boas; a vice-diretora da Ejug, desembargadora Alice Teles de Oliveira; a diretora do Foro da comarca de Goiânia, juíza Patrícia Bretas; o juiz substituto em segundo grau, Ricardo Nicoli, que representou os juízes substitutos em segundo grau; o conselheiro Seccional da OAB-GO, Rafael Brasil, que representou o presidente da OAB-GO, Rafael Lara, e a presidente da Asmego, Patrícia Carrijo.

23 | Outubro | 2023 - Notícias

Os Jogos Nacionais da Magistratura 2023 chegam ao fim

Os Jogos Nacionais da Magistratura 2023 chegaram ao fim. No terceiro e último dia, Magistrados de todo o país brilharam nas quadras e no pódio!Asmego, muito bem representada, também se destacou ao longo das 13 modalidades e ficou em 3º lugar no quadro geral, levando 49 medalhas para casa! Confira a classificação dos atletas goianos: 16 medalhas de ouro, 23 medalhas de prata e 10 medalhas de bronze.

Na classificação coletiva os atletas da Asmego, no futsal masculino, conquistaram 2º lugar! No voleibol de areia feminino, o time da Asmego garantiu a 1ª e 2ª colocação.No tênis de quadra até 50 b, masculino Asmego garantiu o ouro! No tiro esportivo feminino e masculino também foi destaque, assim como na natação, pebolim e no atletismo.A presidente da Asmego, Patrícia Carrijo, destacou que Goiânia ficou em festa nestes quatro dias. “Quero parabenizar a todos que ganharam as medalhas e voltam para casa com sentimento de vitória, mas também parabenizar aqueles que participaram porque isso já demonstra o espírito de união, competitividade, de preocupação com a saúde e disciplina”, afirma. “Saibam que a Asmego também agora é a casa de vocês. Estão todos sempre convidados para estar conosco”, acrescenta a juíza.

20 | Outubro | 2023 - Notícias

Jogos Nacionais da Magistratura 2023: Primeiro dia teve resultados definidos em nove modalidades

Os Jogos da Magistratura 2023 começaram com muita animação e suor neste primeiro dia de disputa em Goiânia (GO). Os atletas entraram em cena: deixaram as togas em casa para fazer bonito nas quadras e arenas da capital goiana.

No quadro de medalhas parcial, a Almagis-AL aparece na primeira colocação, com nove medalhas de ouro e 14 no total. Em segundo lugar está a Amaerj-RJ, com 6 de ouro e 10 no total. Já a Amepe-PE está em terceiro, com 3 medalhas de ouro e 3 no total.

Em relação à pontuação geral, a Almagis-AL também está na primeira colocação, enquanto a Amaerj-RJ e a Asmego-GO, ocupam a segunda e a terceira posições, respectivamente.

Os Jogos trazem disputas em modalidades variadas, desde xadrez e sinuca até os tradicionais futsal e vôlei. Apesar de ser levado a sério por Magistrados que se preparam durante todo o ano, o principal objetivo do evento é fortalecer a união entre os participantes.

“Muito legal estar jogando bola, competindo, mas sobretudo se divertindo. Espero que, nas próximas vezes, mais gente possa participar”, afirmou o Juiz Guilherme Vieira Camargo (TJ-SP), que jogou futsal nesta quinta-feira e ainda vai disputar o basquete amanhã.

“É um momento de congraçamento da Magistratura brasileira”, resumiu o Juiz Fernando Cury, Vice-Presidente de Justiça e Inovação da AMB.

20 | Outubro | 2023 - Eleições da Diretoria biênio 2024/2025

Asmego convoca associados para as eleições da Diretoria biênio 2024/2025

Eleições Diretoria Asmego - biênio 2024/2025

Prezados associados,

A Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego) convoca os associados para as eleições da Diretoria biênio 2024/2025, conforme edital anexo, veiculado pela imprensa.

As eleições serão realizadas no dia 08/12/2023. E, um mês antes, no dia 08/11/2023, às 17h, encerra-se o prazo para registro das chapas interessadas a concorrer, nos termos do estatuto.

As chapas terão de ser completas, isto é, contemplando todos os cargos (Presidente, 1º e 2º Vice-presidentes, sete (07) membros do Conselho Deliberativo e respectivos suplentes). O requerimento de registro de chapas, dirigido à Comissão Eleitoral, já devidamente constituída pelo conselho deliberativo, deverá ser subscrito por todos os candidatos. Os requerimentos deverão ser entregues na Diretoria Administrativa, na sede da Asmego, dentro do prazo.

A Asmego esclarece que, na Assembleia Ordinária, destinada à Eleição da Diretoria e Conselho Deliberativo, o voto será na forma presencial, por meio eletrônico e por carta. Tal norma está prevista no artigo 41 do Estatuto social da Asmego.

Integram a Comissão Eleitoral da Asmego e serão responsáveis por dirimir e decidir eventuais dúvidas e requerimentos relacionados ao processo eleitoral, os magistrados/associados Carlos Elias da Silva, Domingos Portilho da Cunha e Márcio de Castro Molinari.

Patrícia Machado Carrijo Presidente da Asmego

Carlos Elias da SilvaPresidente da Comissão Eleitoral

Domingos Portilho da CunhaMembro da Comissão Eleitoral

Márcio de Castro MolinariMembro da Comissão Eleitoral

Mais Notícias

11 Dez 2023 - Notícias

Com 98,31% dos votos contabilizados, juíza permanece na gestão da entidade pelo biênio 2024/2025. É a primeira vez que um magistrado preside a associação por três mandatos consecutivos

A Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego) elegeu, nesta sexta-feira (8/12), a diretoria para o biênio 2024/2025. Com 98,31% dos votos contabilizados, a juíza Patrícia Carrijo foi eleita pela terceira vez, em chapa única formada por mulheres magistradas, o que ocorre pela primeira vez na história da associação.

Compõem a diretoria eleita as juízas Renata Nacagami (vice-presidente) e Rosa Lúcia Perillo (2ª vice-presidente). “Por duas gestões, conseguimos alcançar conquistas históricas para a magistratura, que nos honra ao respaldar, mais uma vez, nosso trabalho. Ainda temos muito a realizar juntos”, diz a presidente da Asmego, Patrícia Carrijo.

Eleita primeira mulher presidente da Asmego, em dezembro de 2019, a juíza Patrícia Carrijo foi reeleita em chapa única em dezembro de 2021, com 96% dos votos contabilizados, tendo, à época, como vice-presidente e segundo vice-presidente, respectivamente, os desembargadores Luiz Cláudio Veiga Braga e Homero Sabino de Freitas, fundador da Asmego que faleceu em outubro de 2022.

É também a primeira vez na história da Asmego que um presidente pôde se candidatar pela terceira vez, após dois mandatos consecutivos. Isso se tornou possível porque, em 8 de agosto deste ano, por meio de assembleia-geral extraordinária, associados votaram pela reforma do estatuto, para que as próximas eleições sejam realizadas concomitantemente com as da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), fazendo com que este mandato ficasse de apenas dois anos, abrindo, assim, a possibilidade.

ComposiçãoCompõem a nova diretoria eleita os seguintes magistrados:

Patrícia Machado Carrijo (presidente)Renata F.C. Gomes de Barros Nacagami (vice-presidente)Rosa Lúcia Perillo (2ª vice-presidente)

1. Gabriel Lisboa (titular) e Sandra Regina Teodoro (suplente)2. Elcy Santos de Melo (titular) e Marcella Sampaio (suplente) 3. Heber Carlos de Oliveira (titular) e Lígia Nunes (suplente) 4. Mateus Milhomem (titular) e Flávio Fiorentino (suplente)5. Henrique Neubauer (titular) e Érika Cavalcante (suplente) 6. Vívian Martins (titular) e Laryssa Camargos (suplente) 7. Eduardo Gerhardt (titular) e Fabíola Pitangui (suplente)

Breve currículoPatrícia Carrijo é mestre em responsabilidade civil, titular da 25º Vara Cível de Goiânia, integra o NAJ 1 (Núcleo de Aceleração de Julgamentos) da capital; é presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), vice-presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e foi escolhida entre as principais personalidades jurídicas do país para participar da Comissão de Juristas criada pelo Senado para formatar o anteprojeto do Novo Código Civil.

29 Nov 2023 - Notícias

O juiz Abílio Wolney Aires Neto, titular da 9ª Vara Cível da comarca de Goiânia recebeu o Título de Cidadania Goiana nesta terça-feira (28), em sessão solene da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego). A homenagem foi uma iniciativa do deputado estadual Delegado Eduardo Prado e foi concedida ao magistrado pelos relevantes serviços prestados a Goiás.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Carlos França, parabenizou o magistrado. “A concessão do título de cidadania goiana é uma merecida homenagem ao juiz Abílio Wolney Aires Neto, que muito engrandece o Poder Judiciário estadual, pois exerce com primor o seu papel como magistrado, contribuindo com a efetividade da justiça em Goiás em prol da sociedade goiana”, destacou França.

Durante a sessão, o juiz Abílio Wolney Aires Neto comentou sobre sua felicidade ao entrar na Assembleia Legislativa e ver a galeria de ex-presidentes da Alego. O magistrado é neto do político Abílio Aires Wolney, que teve atuação destacada na política de então, em Goiás e na Bahia. Ele lembrou um pouco da história da família e falou também sobre uma de suas paixões, a literatura. O juiz é autor de algumas obras, como “Princípios Constitucionais” e “Juizados, Arbitragem e Mediação”. Em seu discurso, o magistrado comentou sobre sua vocação para a magistratura de carreira e destacou, ainda, "a gestão profícua do desembargador Carlos França pela conquista do selo Diamante, conforme avaliação do CNJ". 

Abílio Wolney Aires Neto é natural de Dianópolis (TO), titular da 9ª Vara Cível de Goiânia, professor e escritor com 15 títulos publicados, dente eles três títulos da área jurídica e os demais de história e literatura. Ele exerceu o cargo de promotor de Justiça em Goiás. É integrante da atual diretoria do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás (IHGG), membro da União Brasileira de Escritores, da União Literária Anapolina (ULA) e titular da Academia Goianiense de Letras e da Academia de Letras de Dianópolis.

AutoridadesAlém do deputado Delegado Eduardo Prado, fizeram parte da mesa diretiva o procurador de Justiça, Cyro Terra Peres; o presidente da Associação Goiana do Ministério Público, promotor de Justiça Benedito Torres Neto; o procurador de Justiça, Sérgio Abinagem Serrano; o também promotor de Justiça, Jales Guedes Coelho Mendonça; o juiz de direito, Abílio Wolney Aires Neto; o pró-reitor da Unifan, Carlos Alberto Vichiatti; o policial rodoviário federal, Newton Morais Souza; e ainda os dois 2º tenentes da Polícia Militar, Luiz Cláudio Coelho de Jesus e Rodolfo de Souza Silva. (Centro de Comunicação Social do TJGO, com informações da Alego / Foto: Maykon Cardoso-Alego). 

Fonte: CCS/TJGO

17 Nov 2023 - Notícias

A Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego) registrou, nesta quarta-feira (08/11), chapa única para as eleições da Diretoria biênio 2024-2025, marcadas para o dia 8 de dezembro de 2023.

Compõem a chapa a presidente da Asmego, juíza Patrícia Carrijo, candidata a presidente; a juíza Renata Nacagami, candidata a vice-presidente e atual diretora de pautas remuneratórias, e a magistrada Rosa Lúcia Perillo, candidata a segunda vice-presidente e atual diretora de aposentados.

“Estes quase quatro anos à frente da Asmego representam um período de muitos avanços para a nossa associação e para a magistratura, como um todo. No entanto, ao tempo em que a caminhada tem sido árdua e rendido incontáveis frutos, muitos considerados por anos inalcançáveis, ainda há muito o que se plantar e colher”, afirma Patrícia Carrijo.

Convênios